Devo olhar para preços ou para retornos?

Tanto faz. A informação contida nas séries de preços e de retornos é a mesma. A única coisa que muda é a forma como ela é apresentada.


Para a surpresa deste colunista, parece que na prática não é bem assim.

Um artigo publicado na edição de dezembro do Journal of Finance mostra que as previsões mudam de acordo com o que as pessoas pensam: em preços ou em retornos.

A performance futura de um ativo é sobrestimada em até 2,4% ao mês quando as pessoas pensam em prever o retorno futuro ao invés do preço futuro.

Por outro lado, a performance futura é subestimada em até 1,7% ao mês quando as pessoas formam suas previsões olhando para retornos passados ao invés de olhando para preços passados.

Esses resultados são baseados em experimentos de laboratório e contam com a participação de investidores experientes.

Os autores mostram também que esse fenômeno não pode ser explicado por heurísticas baseadas no dividend yield ou no prêmio de risco, e que ele predomina entre pessoas que utilizam mais a intuição do que a reflexão para tomar decisões.

Os resultados sugerem uma origem para essa discrepância. Quando olham para preços, as pessoas acabam extrapolando o passado recente para fazer previsões, mas quando olham para retornos, elas acabam utilizando o histórico completo. Por isso, a forma como os dados são apresentados é importante.

O fenômeno documentado pelos autores não é apenas curioso, ele também pode ser utilizado para manipular investidores. Por isso, fique muito atento na próxima vez que te mostrarem um gráfico!




Para ficar por dentro do que rola no Por Quê?clique aqui e assine a nossa Newsletter.



Siga a gente no Facebook e Twitter!
Inscreva-se no nosso canal no YouTube!
Curta as nossas fotos no Instagram!





BLOG

Faça nosso teste e saiba como está sua saúde financeira!

QUERO FAZER O TESTE

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.