Equilibrio competitivo na prática

O equilíbrio competitivo pode ser afetado por forças externas, que estão fora do mercado. Seguem aí dois exemplos hipotéticos que ajudam a entender como essas forças alteram o preço e a quantidade de equilíbrio.

Exemplo 1: suponha o mercado de casacos, inicialmente no equilíbrio indicado pelo ponto A abaixo (o preço é igual a 200 reais; a quantidade vendida é de 50 mil unidades). Uma frente fria chega, inesperadamente, e derrubando temperaturas, o que estimula as pessoas a comprarem mais casacos. Isto é, para qualquer quantidade, os indivíduos estarão dispostos a gastar mais. No gráfico, logo mais abaixo, o efeito corresponde a um deslocamento para cima da curva de demanda de mercado.

Aos preços iniciais (200 reais), o deslocamento da demanda faz com que ela fique mais elevada que a oferta: os produtores estão dispostos a produzir no ponto A, mas, a esses preços, os consumidores gostariam de consumir no ponto C. Há, assim, um excesso de demanda (escassez de casacos), que é corrigido com uma elevação dos preços. O aumento de preço estimula os produtores a ofertarem mais para atender a demanda mais elevada. Ao mesmo tempo, o preço mais elevado restringe parte do movimento inicial de aumento da demanda. Esses dois efeitos contribuem para reduzir a diferença entre oferta e demanda e o excesso de demanda é eliminado.

O novo equilíbrio está no ponto C, com preço e quantidade mais elevados que inicialmente, observe:

Oferta demanda gráfico 11

Exemplo 2: imagine que houve uma grande descoberta de ouro na África do Sul que derrubou o preço desse metal. Como isso afeta o mercado de joias? Como o ouro é um insumo na produção de joias, caem os custos de produção. E, isso, acarreta um deslocamento para baixo na curva de oferta de mercado (lembre-se: a curva de oferta coincide com a curva de custo marginal).

O equilíbrio inicial (antes da descoberta) é dado no gráfico abaixo pelo ponto A, sendo o preço 10 mil reais e a quantidade 5 mil. Aos preços iniciais (esses 10 mil reais), o deslocamento da oferta faz com ela fique mais elevada que a demanda: os consumidores estão dispostos a continuar consumindo no ponto A, mas os custos mais baixos fazem com que as empresas queiram produzir mais esses preços.

Há, consequentemente, excesso de oferta de joias, que é corrigido com uma redução dos preços. Esse movimento estimula os consumidores a comprarem mais, ao mesmo tempo em que restringe parte do movimento inicial de aumento da oferta. Esses dois efeitos contribuem para reduzir a diferença entre oferta e demanda, anulando o excesso de oferta.

O novo equilíbrio agora está no ponto C, veja aí, com preço mais baixo e quantidade mais alta que inicialmente:

Oferta demanda gráfico 12

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.