Produtores

As empresas (produtores) compõem o lado da oferta de um mercado. Para produzir, precisam contratar os chamados insumos (mão-de-obra, materiais, energia elétrica, etc.), além de alugar equipamentos e espaços. Isso tudo sem contar o tempo gasto e o esforço do empresário, remunerados com os lucros da firma. A contratação desses insumos gera custos para a firma, que afetam sua decisão de quanto produzir.

Há dois tipos de custos: os custos fixos e os variáveis. Os fixos independem da quantidade produzida pela empresa. Por exemplo, a firma precisa pagar o aluguel do seu galpão independentemente de ela estar ou não produzindo. Já os custos variáveis mudam de acordo com a produção: se a empresa quer produzir mais, precisa contratar mais trabalhadores, comprar mais matéria-prima e por aí vai, o que eleva seus custos.

O custo total, portanto, nada mais é que o resultado da soma dos custos fixos com os variáveis.

Existe ainda o conceito de custo marginal, importante para a discussão dos próximos cartões sobre a decisão de produção das empresas. Ele aponta quanto o custo total da empresa aumenta quando ela decide aumentar sua produção em 1 unidade.

Um exemplo ajuda a ilustrar essa ideia. Considere uma fábrica de sapatos com o custo fixo de 50 reais, decorrente do aluguel do espaço; em segundo lugar. Seu custo aumenta conforme a produção cresce, por causa da contratação de trabalhadores e da conta de energia elétrica. Veja os valores correspondentes à produção de 1 a 5 pares de sapatos:

Oferta demanda gráfico 4

Dê uma olhadinha na tabela antes de continuar a leitura e reflita: o que é o custo marginal nesse caso?

O custo marginal é o acréscimo de custo para a empresa quando ela produz uma unidade a mais. Por exemplo, quando a firma produz 1 par de sapatos, seu custo total vai de 50 para 53 reais. Ou seja, o custo marginal é 3 reais (53 subtraído por 50). Para aumentar a produção para 2 unidades, o aumento nos custos é 4 reais (resultado de 57 menos 53 reais). E assim por diante.

Note que, no exemplo, o custo marginal é crescente. Ou seja, quanto maior a quantidade produzida, maior o custo adicional de expandir a produção ainda mais.

Na verdade, essa será nossa hipótese principal sobre o comportamento dos custos marginais. Mas, no mundo real, por que esse seria o caso?

Abaixo listamos algumas explicações:


  • Aumentos de produção tornam mais provável a quebra de maquinário, elevando custos de manutenção;

  • Aumentos de produção podem estar associados a uma elevação do número de horas trabalhadas, que implicam pagamentos de horas extras e/ou maior cansaço por parte dos trabalhadores, provocando crescimento nos custos;

  • Por conta da utilização mais intensa de energia elétrica, ao aumentar a produção o empresário pode pagar preços unitários mais elevados por esse insumo.


A ideia de custo marginal crescente pode ser representada graficamente, como no diagrama abaixo. Note: a curva de custo marginal é ascendente. Traduzindo para bom português, quanto maior a quantidade produzida (no eixo horizontal), maior o custo adicional de expandir a produção (no eixo vertical):

Oferta demanda gráfico 5

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.