Taxa de desemprego

Feitas todas as distinções entre PIA, PEA, PNEA, PD e PO, podemos finalmente definir a tão falada taxa de desemprego (também chamada por alguns de "taxa de desocupação"). Ela é obtida pela porcentagem da PEA que se encontra desocupada. Ou seja:

desemprego 2

Vejamos alguns exemplos.

Digamos que um país tenha 200 milhões de habitantes, com uma PIA de 180 milhões, uma PEA de 100 milhões e PO e PD de, respectivamente, 90 milhões e 10 milhões.  Nesse caso, a taxa de desemprego seria de 10% (= 100 × 10 milhões/100 milhões). Note: só entram na conta as pessoas empregadas ou que estão ativamente procurando emprego. Nessa estatística não são contabilizadas as pessoas sem emprego, mas que recentemente não procuraram um novo trabalho.

Partindo dessa situação inicial, consideremos os efeitos de três mudanças na composição da população:

1) Redução da PD e aumento da PO


Suponha que a PD seja reduzida em 5 milhões e a PO aumente nos mesmos 5 milhões. Esse é o caso quando, por exemplo, 5 milhões de desempregados conseguem achar emprego sem que ninguém tenha sido demitido nesse mesmo período. Com essa mudança, a PO aumenta de 90 para 95 milhões e a PD cai de 10 para 5 milhões, reduzindo, assim, a taxa de desemprego de 10% para 5% (= 100 × 5 milhões/100 milhões).

Quando uma parcela da PD migra para a PO, portanto, a taxa de desemprego diminui. Se o contrário ocorresse (redução da PO e aumento da PD), a taxa de desemprego subiria.

2) Redução da PD e aumento da PNEA


Imagine que 5 milhões de desempregados, desiludidos com as perspectivas de encontrarem trabalho, desistam de procurar emprego. Logo, eles deixam de ser contabilizados como parte da PD e passam a fazer parte da PNEA. Desse modo, a PD cai de 10 para 5 milhões e a PNEA sobe de 100 para 105 milhões, consequentemente reduzindo a PEA de 100 para 95 milhões. Dessa maneira, taxa de desemprego é reduzida de 10% para, aproximadamente, 5,3% (= 100 × 5 milhões/95 milhões).

Qual conclusão que tiramos disso? Que a taxa de desemprego pode diminuir sem que haja qualquer aumento na quantidade de pessoas ocupadas, desde que uma parcela da PD migre para a PNEA. Isso acontece não só quando indivíduos que antes procuravam emprego se tornam desalentados. Acontece, também, quando os que anteriormente estavam desempregados passam a se dedicar aos estudos ou a outras atividades fora do mercado de trabalho.

De maneira semelhante, a taxa de desemprego pode crescer mesmo que não haja qualquer variação na PO, o que acontece quando uma parcela da PNEA migra para a PD. Isso se dá, por exemplo, se um contingente excepcionalmente grande de estudantes universitários se forma e passa a procurar emprego sem sucesso.

3) Redução da PO e aumento da PNEA


Suponha, por fim, que, repentinamente, uma parcela de 5 milhões de integrantes da PO resolva abandonar sua ocupação e não procure imediatamente outros empregos. Isso pode acontecer quando as pessoas se aposentam ou se afastam do emprego para fazer um curso de pós-graduação, por exemplo. Nessas condições, a PO baixa de 90 para 85 milhões e a PNEA aumenta de 100 para 105 milhões, consequentemente reduzindo a PEA de 100 para 95 milhões. Com isso, a taxa de desemprego aumenta de 10% para perto de 10,5% (= 100 × 10 milhões/95 milhões).

Portanto, a taxa de desemprego pode aumentar sem que existe elevação da quantidade de pessoas desocupadas, quando parte da PO migra para a PNEA. Se, pelo contrário, parte da PNEA migrar diretamente para a PO, a taxa de desemprego diminui sem que acontece variação alguma na quantidade de desocupados.

Não se pode afirmar, no entanto, que o processo de envelhecimento da população (e, consequente, o aumento do número de aposentados) leva a uma alta na taxa de desemprego. No exemplo acima, quando uma pessoa se aposenta, supomos uma redução na PEA, sem uma variação no número de desempregados. Mas a aposentadoria desse indivíduo não implica que o seu posto de trabalho irá desaparecer. A firma buscará outra pessoa, que, provavelmente, virá daquele grupo de pessoas que está desempregado. Assim sendo, o número de desempregados também reagirá à mudança. Voltaremos a esse ponto mais a diante.

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.