Rio 2016: Por que tanta bagunça, na boa?

Pesquisas acadêmicas apontam: sediar Olimpíadas é uma grande furada. Levantamentos sobre os últimos Jogos, com poucas exceções, indicam que os custos superam os benefícios para o país que recebe a competição.

Mas precisava ser assim, bagunçado como tem sido?



Quando anunciaram que o Brasil receberia o evento, lá em 2009, pensei que teríamos ao menos um benefício ao chegarmos a 2016: nossa infraestrutura, tão debilitada, poderia ser, enfim, reformada. Afinal, políticos não teriam mais como empurrar o problema com a barriga. Ora, essa, havia um prazo a ser cumprido: tudo deveria estar pronto em julho deste ano, período em que as primeiras delegações chegariam ao Rio.

Na prática...

É verdade, a ideia era a de que nós, todos os brasileiros, pagássemos com nossos impostos por instalações que pouco seriam usadas depois. Mas esse seria apenas um preço para conseguirmos uma bela de uma reforma em nossos portos e aeroportos, além de melhorias sensíveis na mobilidade urbana.

E é tradição, sim, quase todos os nossos políticos demonstrarem pouco interesse em investir em infraestrutura. Isso, talvez, pela natureza de longo prazo do retorno dessas iniciativas, de pouca eficiência eleitoral no curto prazo. Mas um evento de enormes proporções, com data marcada e tudo? Certamente uma Olimpíada teria poder de mudar os incentivos dos nossos gestores... Quem quer passar vergonha aos pés de toda a comunidade internacional?

Bom, estava errado. Subestimei a incapacidade de nossos gestores.

Há outro potencial benefício para quem sedia os Jogos: sinalizar às nações que somos sérios, que estamos disposto a receber pessoas e investimentos do estrangeiro. Isso poderia turbinar negócios e turismo.

Só que as notícias recentes...

Os sinais dados são de que as Olimpíadas podem surtir o efeito contrário do desejado. A queimação de filme ficou descarada com a reclamação da delegação australiana, denunciando a precariedade da Vila Olímpica – encontraram até privada quebrada nas acomodações.

Agora, além dos custos enormes de sediar o evento, vamos terminar sem receber infraestrutura decente em troca e, bem possivelmente, com uma imagem pior ainda no exterior. A não ser que tudo seja resolvido nas próximas semanas, o legado do Rio-2016 tem tudo para ser amplamente negativo.

Tudo bem, os Jogos passarão. Mas a conta vai ficar por aqui por muito tempo...

BLOG

Faça nosso teste e saiba como está sua saúde financeira!

QUERO FAZER O TESTE
O pato soy yo?

O pato soy yo?

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.