Base monetária

O Banco Central não controla diretamente a quantidade de moeda em circulação na economia. O que ele controla é a chamada base monetária, composta pelo papel-moeda em poder do público e pelas reservas (compulsórias e voluntárias) que os bancos mantêm junto ao Banco Central.

Por outro lado, como visto anteriormente,  a quantidade de moeda da economia é composta por papel-moeda em poder do público e depósitos à vista. Em geral, a quantidade de depósitos à vista é maior do que a quantidade de reservas dos bancos.

De onde, então, surge o restante da moeda em circulação?

A resposta para essa pergunta reside na capacidade de criação de moeda que o sistema bancário como um todo possui.

Suponha que cada pessoa mantenha metade da moeda em sua posse sob a forma de depósitos à vista e que os bancos mantenham metade dos depósitos à vista recebidos sob a forma de reservas. Suponha que Pedro deposite R$120 no banco A. Esse banco irá manter R$60 em reservas e emprestar os outros R$60. Mas a história não termina aí. A pessoa que tomou empréstimo irá manter parte dessa quantia em um banco, como outro depósito à vista. João, que recebe esses R$60 emprestados, depositará R$30 num outro banco B que, por sua vez, emprestará R$15 para outra pessoa. Maria então recebe esses R$15 como empréstimo, coloca R$7,50 em um depósito à vista no banco C, que vai emprestar metade disso para outra pessoa, e assim por diante.

Se esse processo for repetido indefinidamente, a quantidade de depósitos à vista criados ao fim do processo não serão somente os R$120 originais de Pedro, mas sim a soma dos depósitos de Pedro, João, Maria e de todos os outros que posteriormente receberem a moeda: R$120 + R$30 + R$7,50 + ... = R$160! Em suma, os R$120 em papel moeda do início da história foram transformados em R$160 em depósitos à vista, de modo que R$40 foram criados ao longo do processo.

A capacidade de criação de moeda do sistema bancário é medida pelo chamado multiplicador monetário. Por exemplo: se a base monetária é de R$1 bilhão e o multiplicador monetário é igual a 2, então a quantidade total de moeda será de R$2 bilhões (2 x R$1 bilhão). O multiplicador monetário de uma economia será maior quanto maior for a proporção da moeda mantida junto aos bancos na forma de depósitos à vista, e quanto menor for a proporção de reservas mantidas pelos bancos.

Por quê? Quando as pessoas mantêm uma fração elevada de sua moeda na forma de depósitos à vista, elas propiciam mais recursos ao setor bancário, que pode utilizá-los para fazer mais empréstimos, criando assim mais moeda. E quando os bancos mantêm uma fração pequena dos depósitos como reservas, eles também têm mais recursos para emprestar, gerando um volume maior de depósitos à vista e, portanto, moeda.

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.