Uma plataforma que vai te ajudar a entender um pouco mais de economia.

Câmbio e balança comercial

Quando o câmbio real se eleva, dizemos que houve depreciação. Isso pode decorrer do (i) aumento do câmbio nominal, ou seja, um dólar compra maior número de reais; da (ii) queda dos preços internos, ou seja, para um dado câmbio nominal o dólar tem maior poder de compra no Brasil; e da (iii) alta dos preços em dólar, ou seja, para o mesmo câmbio nominal passa a ser mais interessante comprar no Brasil do que nos EUA.

Assim, uma depreciação real da nossa moeda significa que os preços de produtos lá fora ficaram mais caros em relação aos produtos aqui dentro. Isso, portanto, tende a desestimular nossas compras de bens produzidos no exterior, isto é, as importações diminuem. Por outro lado, se os produtos externos ficaram mais caros em relação aos nossos, então os nossos produtos ficaram mais baratos em relação aos produzidos lá fora. E esse preço relativamente mais baixo incentiva os estrangeiros a adquirirem nossos produtos, ou seja, as exportações aumentam.

Quando ocorre depreciação real da nossa moeda, portanto, as exportações sobem e as importações caem. E no caso em que nossa moeda aprecia em termos reais, o inverso ocorre: importações aumentam e exportações caem.

O que você achou desse texto?

*Não é necessário cadastro.

Avaliação de quem leu:

A plataforma Por Quê?Economês em bom português nasceu em 2015, com o objetivo de explicar conceitos básicos de economia e tornar o noticiário econômico acessível ao público não especializado. Acreditamos que o raciocínio econômico é essencial para a compreensão da realidade que nos cerca.

Iniciativa

Bei editora

Realização

Bei Educação
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações veja nossa Política de Privacidade.