Por que a pandemia está gerando falta de troco?

O dinheiro foi feito para circular. Essa é sua principal função. Uma mesma nota ou moeda possibilita várias transações. Você vai à padaria e paga com uma nota de cinco reais. O estabelecimento dá essa nota de troco para outra pessoa, que usa a mesma cédula para comprar frutas na feira. O feirante deposita o dinheiro no banco, outro indivíduo saca aquela nota, faz mais compras. E assim vai.

Mas se as transações em dinheiro caem drasticamente, ele fica represado. Isso é particularmente grave para moedas, pois elas servem como troco. Notícias recentes documentam diversos problemas de falta de troco nos Estados Unidos, como resultado da pandemia e da diminuição de circulação do dinheiro.

Estabelecimentos comerciais estão pedindo a fregueses que paguem com cartão, ou tragam o dinheiro trocado. Bancos estão dando incentivos para que as pessoas depositem suas moedas.

O próprio comércio tem reclamado junto a autoridades, já que o problema pode espantar consumidores acostumados a fazer transações em dinheiro vivo.

Uma implicação interessante: essa situação pode empurrar as pessoas para transações em cartão, seja pela dificuldade temporária em transacionar com dinheiro vivo, seja porque as compras online se tornaram mais prevalentes por causa da pandemia. Se os indivíduos se acostumarem com essa prática, as transações em dinheiro podem diminuir para sempre.

Mais um possível efeito permanente do choque temporário induzido pela covid-19, como tínhamos comentado anteriormente.


Para ficar por dentro do que rola no Por Quê?clique aqui e assine a nossa Newsletter.



Siga a gente no Facebook e Twitter!
Inscreva-se no nosso canal no YouTube!
Curta as nossas fotos no Instagram!





BLOG

Faça nosso teste e saiba como está sua saúde financeira!

QUERO FAZER O TESTE
Preços esquisitos

Preços esquisitos

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.