O Primeiro Teorema do Bem-Estar

Pense no exemplo corriqueiro do mercado de sapatos. Qual a quantidade eficiente, ou seja, aquela que provê o máximo de bem-estar para a sociedade?

Para responder a essa pergunta compararemos, para cada unidade do bem, o benefício social com seu custo social. Se o benefício social for maior ou igual ao custo, então é socialmente ótimo produzir essa unidade. Se o benefício social for menor que o custo, então não valerá a pena produzi-la.

Para a sociedade, o benefício de um par de sapatos a mais vem do fato de que os consumidores agora têm acesso a uma quantidade maior.

Qual o valor disso?

A disposição a pagar dos consumidores por essa unidade a mais (isto é, o preço máximo que eles pagariam), que é dada pela curva de demanda de mercado.

Já o custo social de produzir uma unidade a mais é o custo marginal das empresas, dado pela curva de oferta de mercado. Este é um custo social, já que, para produzir mais sapatos, é necessário empregar capital, trabalho, energia etc., que poderiam ser usados para produzir outras coisas.

Para determinar se é socialmente ótimo produzir uma unidade a mais, devemos comparar o benefício social (curva de demanda) com o custo social (curva de oferta) dessa unidade. Vejamos um exemplo no gráfico abaixo.

Digamos que a produção de sapatos é igual a zero. Vale a pena produzir a primeira unidade?

Sim. Nesse caso, os consumidores estariam dispostos a pagar 1 mil reais (na curva de demanda) pela primeira unidade – esse é o benefício para os consumidores, que também é o benefício para a sociedade. E o custo social dessa unidade adicional é somente 10 reais (na curva de oferta). Portanto, como o benefício social supera o custo social, é eficiente gastar recursos escassos para produzir esse primeiro par de sapatos.

Vale a pena produzir o segundo par de sapatos?

Sim. Novamente seu benefício social (995 reais) é maior que seu custo social (11 reais). O mesmo raciocínio vale para todas as unidades até 200.000, pois para elas o benefício social é maior que o custo social (curva de demanda acima da curva de oferta).

Compensa produzir quantidades superiores a 200.000?

Não. Para estas o custo social é maior que o benefício social. No exemplo, produzir uma unidade a mais (chegando assim 200.001) custa 101 reais, mas o benefício é de 97 reais.

eficiencia 01

A quantidade eficiente a ser produzida é 200.000 pares de sapato. Essa quantidade é exatamente a mesma do equilíbrio competitivo (cruzamento entre oferta e demanda de mercado).

O exemplo ilustra um dos principais resultados da teoria econômica – o Primeiro Teorema do Bem-Estar. Especificamente, diz que a solução de mercado é eficiente, quer dizer, gera o máximo de bem-estar social possível. Assim, não há espaço para intervenções governamentais nessa dimensão; na verdade, geralmente intervenções levam a perda de eficiência.

Como dito anteriormente, o resultado acima é baseado em hipóteses pouco realistas para a maioria mercados. Mas continua sendo bastante útil. Retornaremos a esse ponto mais adiante.

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.