Subsídios e eficiência

O efeito de um subsídio pode ser entendido de maneira muito semelhante ao de um imposto. Nesse caso, para cada unidade vendida, o governo dá 10 para o produtor. Em outras palavras, se o consumidor pagar "X" reais por unidade, o produtor recebe R$(X+10). Ou seja, a diferença entre o preço recebido pelo produtor e o preço pago pelo consumidor é o subsídio (10 reais).

No diagrama de oferta e demanda precisamos encontrar o ponto em que a diferença entre oferta (preço recebido) e demanda (preço pago) é exatamente igual a 10 reais. Agora, ao contrário do caso do imposto, na quantidade de equilíbrio, a curva de oferta está acima da curva de demanda. Veja só:

eficiencia 05

A introdução do subsídio, dessa maneira, provoca um aumento na quantidade de equilíbrio. Eleva-se o preço recebido pelo produtor, estimulando a oferta; e reduz-se o preço pago pelo consumidor, estimulando a demanda.

Há também perda de eficiência. A nova quantidade de equilíbrio é maior que a do cruzamento entre oferta e demanda. Ou seja, o subsídio leva a economia a produzir acima do socialmente ótimo: no gráfico, da perspectiva da sociedade, as unidades entre 200.000 e 204.000 não deveriam ser produzidas. Seu custo social (curva de oferta) supera seu benefício social (curva de demanda). Mas o subsídio eleva artificialmente o incentivo a produzir e consumir mais nesse mercado, levando à redução de eficiência.

Por que o subsídio gera perda social, se nesse mercado tanto consumidores como produtores se beneficiam da política? Por que consumidores acabam pagando preços mais baixos e produtores recebendo mais por unidade?

Em primeiro lugar, para pagar pelo subsídio, o governo precisa de mais dinheiro. Para isso, tem que aumentar a arrecadação ou se endividar. Caso opte por arrecadar mais, precisa taxar outras fontes; ele acaba penalizando o contribuinte. Além disso, o imposto mais elevado em outros mercados pode causar perda de eficiência, como a descrita no cartão anterior.

Por outro lado, se o governo opta por se endividar, precisará saldar essa dívida mais elevada no futuro. Isso implica que os impostos (e os custos que eles envolvem) precisarão aumentar futuramente. Apenas é feito a transferência do custo do presente para o futuro.

Adicionalmente, o subsídio estimula a produção nesse mercado. Para isso, os produtores do mercado acabam utilizando mais capital, trabalho, energia, materiais, etc. Tais recursos deixam de ser empregados em outras atividades que possuem retorno social mais elevado.

Por quê?

Porque o subsídio aumenta o retorno privado de produzir nesse mercado, que se tornou mais alto do que o retorno social dessa atividade. Da perspectiva da sociedade, isso constitui um desperdício de recursos - isso está por trás do custo social do subsídio.

Realização

Bei editora

Apoio

CP+B
Usamos cookies por vários motivos, como manter o site do PQ? confiável ​​e seguro, personalizar conteúdo e anúncios,
fornecer recursos de mídia social e analisar como o site é usado. Para maiores informações clique aqui.